quinta-feira, 4 de novembro de 2010

She´s always a woman


Uma mulher a serio nunca desiste, nunca se entrega. Não se preocupa com o que os outros pensam, sentem, fazem ou dizem. Ela faz aquilo que o amor lhe manda fazer, amor pelos outros... seja qual for o papel dos outros. O instinto protector faz com que tome as rédeas da maioria das situações.

De todos os papeis que tem, o mais difícil de todos é ser apenas mulher. É tão mais fácil desempenhar o rol de papeis que conjuga todos os dias... Acorda e tem de ser mãe, mulher, amante, amiga, companheira, profissional, dona de casa e raramente se lembra de ser apenas mulher. Raramente se lembra de receber.

Não quero com isto dizer que os homens estão errados. Não estão. As mulheres é que estão, porque não se conhecem o valor e não se dão ao direito de ser apenas a mulher, sem representar papel nenhum.

Talvez por tudo isto se diga que por detrás de um grande homem tem de existir uma grande mulher. Nem que seja a mãe, mas tem de existir. Só um louco não reconhece isto.

Mas ao contrario da maioria das mulheres, eu acredito que eles sabem disto. Acredito que eles reconhecem o valor de uma grande mulher e o respeitam. Só não agem em conformidade na maioria dos casos, porque não os deixamos agir. Que o diga o Miguel Esteves Cardoso.

7 comentários:

Eu gosto d'opinar disse...

Querida Chocolate, não poderia concordar mais com o teu texto. Adoro ser Mulher e sou uma feminista. Sim, escrevo Mulher com M maiúsculo que é para não deixar dúvidas que para se ser uma grande Mulher há que saber sê-lo também.
Por força de muito preconceito ainda existente na sociedade, penso que algumas mulheres muitas vezes se limitam a agradar os outros! Começam cedo por agradar aos pais, agradar ao marido, aos filhos... Tantas mas tantas vezes vejo mulheres que se esquecem de agradar a ELAS PROPRIAS!...
A mim entristece-me, porque ser Mulher para mim é um acto de coragem, basta que nos tenham conferido o dom da maternidade, de carregar um filho 9 meses, de sofrer no parto e muitas vezes sofrer uma vida inteira por causa dos filhos... Por isso, para mim, ser Mulher é não nos esquecermos de nós, gostarmos de nós antes de gostarmos e agradarmos aos outros!

Li*

Raquel disse...

E ainda acrescento que só um grande homem reconhece uma grande mulher... ;)
Beijinhos Li Pintarola! :D

Li disse...

;) Não poderia ser mais verdade!...
(onde é que eles andam?! Os Grandes Homens?) :)

Beijo!

Raquel disse...

Andam sim, há muitos por aí. Nos é que as vezes nao os deixamos entrar, com medo. Temos muito medo de nos magoar. Necessitamos de protecção, e protegemo-nos demasiado a ponto de afastar pessoas boas.
E eles precisam de alguma educação, mas aos poucos vão ao sítio. Eu que o diga... Lol
Mas minha linda, n desacredites. Acredita sobretudo em ti e deixa que os grandes homens se manifestem na tua vida. ;)
Beijinhos

Li disse...

Acreditar em mim, acredito! Não acredito é mt neles! ;) E se calhar não tenho mt paciencia pr lhes dar educação... :)

Beijo

vitor cunha disse...

Lamento, mas não posso aceitar as vossas teorias feministas nem a vossa concepção tutorial de educarem os homens.
Meninas sejamos justos e deixemo-nos de manter o conceito do "homem fera" e da mulher "abenegada vítima".Toda agente conhece casos de mulheres que mataram o filho que carregaram 9 meses,sempre injustificadamente, como eu conheço um homem que cuidou da mulher como paraplégica e cuidou religiosamente durante anos suportando-lhe abenegadamente atitudes cruéis,tendo acabado por se divorciar ao constatar que o estado dela, sempre tinha sido uma farsa.
Fiqemos pelas qualidades e defeitos de ambos os lados e não perpetuemos a dicotomia:Uns diabos outras santas...

Raquel disse...

Caro Vitor, lamento mas interpretou mal este post. Não sou o tipo de mulher que acha que os homens são uns diabos e nós coitadas, subjugadas somos umas mártires. Nada disso. E nem este post se refere a isso. Em ambos os géneros há os bons e os maus, há os infelizes, os inseguros, os felizes, os egoístas e os altruístas e dedicados. Não obstante, o papel da mulher é e sempre foi o mais dificil (socialmente falando). Não porque os homens nos "obriguem" a tal, mas porque grande parte das mulheres por uma questão cultural e/ou educacional se prestam a tal.
Mas descanse que também tenho exemplos do contrário e também conheço uma mulher que abandonou os filhos e entregou o poder paternal por inteiro ao pai e por livre e espontanea vontade. Não estou aqui a julgar valores por género, pelo contrário. Sinto-me uma grande mulher (perdoem-me a falta de modéstia, mas isto é apenas o reconhecimento de tudo o que é e foi a minha vida), da mesma forma que se fosse homem, seria concerteza um grande homem. É uma questão de essência que nada tem a ver com o que escrevi aqui.
Bjs, Vitor.