domingo, 22 de novembro de 2009

Mais uma vez o Amor!


Comentário ao post Formula do Amor, por um anónimo. Não posso deixar de partilhar ou pelo menos de tornar mais vísivel. Obrigado à pessoa que me enviou este comentário.

"O Amor é um estado Nascente, é uma experiencia, e quando é que temos essa experiencia? Antes de mais quando nos apaixonamos. Apaixonarmo-nos não é apenas sermos atraidos por uma pessoa, vê-la bela e desejavel. É uma mudança interior de todo o ser; vemos o amado diferente porque nos tornamos diferentes. A nossa sensibilidade centiplicou-se, as cores tornam-se luminosas, límpidos os sons. Pelo facto de o amarmos a ele(a), ao nosso amado(a, todas as outras pessoas nos surgem de outro modo. Antes de tudo mais Humanas. Enquanto até aí mal as vimos, agora conseguimos intuir os seus sentimentos, é como se nos tivessemos tornado capazes de nos pormos em comunicação com elas. Já não temos vontade de mentir. sobretudo com nós próprios e com o ser amado. Percorremos de novo, na recordação, a nossa vida e apercebemo-nos de que antes de termso encontrado quem amamos, esta vida era mesquinha, insípida. O ser amado não é a perfeição, vemos os seus defeitos. se é pequeno, ou magro, ou tem o nariz comprido, ou curto. mas todas essas coisas deixam de se tornar defeitos, porque conseguimos agora ver a sua essencialidade e o seu valor. os nossos olhos tornam-se capazes de descobrir a beleza ao ser tal como é. E se o amado nos diz sim, então somos felizes e gostariamos que o tempo parasse, e que todos os outros seres humanos fossem também felizes, e toda a humanidade e todo o universo a que nos sentimos unidos de modo íntimo e solidário." Francesco Alberoni

Bem aventurados os que Amam...

2 comentários:

Susaninha disse...

ESTÁ LINDOOOOO...Viva ao AMOR:)
Tenho saudadinhas...Sexta vamos tomcar cafézinho???
SUUUUUUUrrisinhos:)

Anónimo disse...

Para quem AMA... Porque vale sempre a pena.

http://www.youtube.com/watch?v=CoP9fs7Z-Gk

A citação, que amavelmente colocou em destaque, está incluida num livro que eu considero uma obra prima e talvez a unica incursão de Alberoni num registo mais Filosófico e menos da sua usual Sociologia do Amor.
o livro chama-se "A Àrvore da Vida" e tenho a felicidade de possuir um exemplar, que ao contexto da época (2002) serviu de "remédio" para uma situação fracturante. Pena é que a editora actual deste autor para Portugal não tenha a intensão de o reeditar, porque se encontra esgotadissimo.

A musica é complemento essencial...