sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Relações (im)perfeitas

Quando estamos sozinhos, procuramos uma relação perfeita, alguém que nos preencha que seja nosso cúmplice, que nos respeite. Imaginamos como será a nossa vida e imaginámo-la perfeita, cheia de momentos perfeitos, sorrisos, gargalhadas, jogos, noites quentes e muito carinho.

Quando estamos numa relação e passados uns tempos, esquecemos que imaginamos e desejamos isso tudo. Passamos a deixar que a vida nos leve, que o amor nos carregue até que se canse...

E depois vivemos relações assim-assim, nem preto, nem branco, nem quente, nem frio... até ao dia em que não aguentamos mais e mandamos a relação embora e ficamos sozinhos e voltamos a imaginar como será a relação perfeita...

Porque será que as relações falham tanto?

Eu acho que uma relação deve ser gerida mais ou menos como um negócio... como uma grande empresa! É isso mesmo! E ninguém quer levar uma empresa à falência, pois não?

Criam-se elaborados planos de marketing, estratégias, medem-se os resultados e reajustam-se as estratégias.

E as emoções?? Perguntam vocês... Não podemos comparar... humm, não têm nenhuma empresa, pois não?

O amor é a base da relação, é certo, mas todos sabemos que não chega. Tal como numa empresa, mesmo que o produto seja um sucesso, inovador e se venda por si só, vai chegar um dia em que entra um concorrente forte, mais ajustado às necessidades actuais, com um preço competitivo e que simplesmente o tira do mercado...

E nenhum gestor de sucesso permite isto, por isso, está constantemente a evoluir, a criar alternativas, a "namorar" os consumidores, a cativá-los para não os perder, torna o produto cada vez mais atraente, ajusta-o às necessidades (sim, porque elas mudam),...

Já dizia o poeta que a maior empresa do mundo é a sua vida...

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.Pedras no caminho?Guardo todas, um dia vou construir um castelo..." Fernando Pessoa

3 comentários:

Susaninha disse...

COCOLATINHA PENSO MESMO ASSIM.....
Quase que me leste a mente...
Este psot está qualquer coisa...

A sério....
E nós..temos um mundo de sentimentos cá dentro..SE TEMOS:)

Anónimo disse...

Porque será que as relações falham tanto?

Julgo que esta é a pergunta de resposta mais dificil. Penso que antes de mais, as relações falham por "Incerteza". Para mim, incerteza, é a ignorancia provocada pela ausencia de informação. Será que quando nos apaixonamos, estamos plenos de toda a informação que necessitamos? provavelmente não. No amor, a procura de informação é mais assertiva e é tão mais, consoante vamos avançando na vida. Há mais variaveis. Na adolescencia apaixonamo-nos e pronto. Na idade adulta há todo um universo de experiencias que cada elemento traz para a relação. Para mim esse é o encanto das relações, é a descoberta do outro, a partilha de tudo.

Segundo Francesco Alberoni, a procura faz parte do ser humano.

Concordo que se deve tornar o "produto" cada vez mais atraente e ajustado ás constantes mudanças e alteração das necessidades, até porque uma das caracteristicas de um produto é o seu inevitável "ciclo de vida"

Bem haja a quem Ama....

Margarida Teixeira disse...

Nem todos "passamos a deixar que a vida nos leve, que o amor nos carregue até que se canse..."... Muitas vezes lutamos por nós, pelo nosso "produto" e até tentamos ser agradáveis com o "vendedor" que nos aparece ou que escolhemos. Ele pode nem ter muito jeito para se propagandear e nós até tentamos ajudar a que se veja com outros olhos...

Outros deixam de se considerar um produto per si e passam a fazer com que, juntamente com a pessoa com quem dividem a vida, forme um produto só. Depois investem no "produto", fazem upgrades, updates e outros up e tudo parece ficar down dp dos ups porque se quis mergir o imergível...

Muitas vezes os maiores gestores do mundo estão à nossa frente kdo estamos ao espelho só k n lhe damos o devido valor...

Quanto ao objectivo de amar e ser amado, para mim é o mesmo desde o nascimento, passando pela adolescência, visitando a idade adulta e aterrando na idade de ouro... Desde sempre, como sempre e para sempre só queremos ser felizes... e é por isso k as relações não falham... mudam... não se adoptam mas adaptam-se...

Bem haja o Amor, os Amantes e os Amigos...