quinta-feira, 15 de abril de 2010

Coisas que outros dizem e que eu gosto muito #1

"Não tenho filhos e tremo só de pensar. Os exemplos que vejo em volta não aconselham temeridades. Hordas de amigos constituem as respectivas proles e, apesar da benesse, não levam vidas descansadas. Pelo contrário: estão invariavelmente mergulhados numa angústia e numa ansiedade de contornos particularmente patológicos. Percebo porquê. Há cem ou duzentos anos, a vida dependia do berço, da posição social e da fortuna familiar. Hoje, não. A criança nasce, não numa família mas numa pista de atletismo, com as barreiras da praxe: jardim-escola aos três, natação aos quatro, lições de piano aos cinco, escola aos seis, e um exército de professores, explicadores, educadores e psicólogos, como se a criança fosse um potro de competição.

Eis a ideologia criminosa que se instalou definitivamente nas sociedades modernas: a vida não é para ser vivida - mas construída com sucessos pessoais e profissionais, uns atrás dos outros, em progressão geométrica para o infinito. É preciso o emprego de sonho, a casa de sonho, o maridinho de sonho, os amigos de sonho, as férias de sonho, os restaurantes de sonho.

Não admira que, até 2020, um terço da população mundial esteja a tomar Prozac. É a velha história da cenoura e do burro: quanto mais temos, mais queremos. Quanto mais queremos, mais desesperamos. A meritocracia gera uma insatisfação insaciável que acabará por arrasar o mais leve traço de humanidade. O que não deixa de ser uma lástima.

Se as pessoas voltassem a ler os clássicos, sobretudo Montaigne, saberiam que o fim último da vida não é a excelência, mas sim a felicidade!"

João Pereira Coutinho

6 comentários:

izzie disse...

Não conheço o autor, mas gostei.
Concordo :)

Beijinho,

CF disse...

Gosto do JPC. Tem sempre grandes textos e filosofias. Este é um deles...

Andorinha disse...

Olá Raquel, obrigada pela visita. Vim cá espreitar e gostei muito do teu blog! Voltarei!

Girls Next Door disse...

Desconhecia este autor.
Mais um nome a pesquisar para leitura. =) Gostei!

Porque tudo aqui dito é verdade... mas qual é a mãe que não quer o melhor para o seu filho e que ele se instrua em diversas áreas?... a culpa sai da sociedade, do mundo de trabalho, que exige cada vez mais, que sejamos cada vez melhores e maiores em tudo... mais formação, mais conhecimento. Porque isso vai trazer uma vida de sonho, ferias de sonho, restaurantes de sonho...

Enfim... precisamos continuar com essa ambição mas saber "levar a vida".. e é este equilibrio e não máximo que devemos tentar alcançar .

Sapatos e Chocolate disse...

So true! Costumo ser olhada de lado quando digo que o meu sonho não é casar num vestido branco nem ter um Gonçalo e uma Beatriz ou quando digo que não acredito em Deus...Estão constatemente a darem-me na cabeça para ter melhores notas e ser melhor que os outros. Mas quero ser apenas eu!

Eli disse...

Ainda bem que tenho noção das coisas... e que não sou a única!

Há crianças que valem a pena. Outras não. Mas isso depende do que se lhe é ensinado!

:)